Do prazer



21/7

Muitas vezes ao negardes a vós mesmos o prazer, estais a ocultar o desejo nos recônditos do vosso ser.

Quem sabe se o que parece ser omitido hoje espera por amanhã?

Até o vosso corpo conhece a sua herança e as suas necessidades e não sairá desiludido.

E o vosso corpo é a harpa da vossa alma,

E é a vós que compete extrair dela uma doce melodia

Ou sons confusos.

E no vosso coração, perguntais: «Como distinguiremos o que é bom no prazer do que não é?»

Ide para os vossos campos e jardins e aprendereis que o prazer da abelha consiste em retirar o mel da flor.

Mas também a flor tem prazer em dar o mel à abelha.

Pois para a abelha a flor é uma fonte de vida.

E para a flor a abelha é a mensageira de amor.

E, para ambas, abelha e flor, o dar e o receber prazer é uma necessidade e um êxtase.

Pág.123 - In O Profeta e A Arte da Paz de Kahlil Gibran, Sinais de Fogo

#Biblioterapia

list.png